2339

Prefeitura Municipal de Queimadas

Pular para o conteúdo

Visão Geral

Visão Geral

Bandeira Bandeira do Município
Brasão Brasão do Município
  • Aniversário: 20 de junho
  • Fundação: 20 de junho de 1884
  • Padroeiro (a):Santo Antônio
  • Gentílio:queimadense
  • Cep: 48860-000
  • População: 26525 (estimativa)
  • Prefeito (a): (PT)
    2017 - 2020

Geografia

Queimadas é um município do estado da Bahia. Localiza-se a uma distância aproximada de 300 km da capital do Estado, Salvador, e situada a uma latitude 10º58'42" sul e a uma longitude 39º37'35" oeste, estando a uma altitude de 295 metros. Sua população estimada em 2017 era de 26.552 habitantes. Possui uma área de 2.105,97 km². segundo o IBGE.

História

Queimadas
Bahia - BA

Localiza-se no polígono das secas a margem direita do rio Itapicuru-açu, em terras das incomensuráveis sesmarias da Casa da Ponte, existia as fazendas “As Queimadas”, ambas pertencentes à Dona Isabel Maria Guedes de Brito, herdeira de imensos territórios. Queimadas surgiu de duas fazendas pertencentes a D. Isabel Guedes de Brito.

A denominação das fazendas surge que ali se faziam grandes queimadas de caatingas para botar roçados, hábitos este praticados pelos índios e seguido pelos colonizadores. As coivaras frequentes acabaram por assinalar para sempre o sitio a que dera o nome, posteriormente, ao povoado, à freguesia, à vila, à cidade e ao município. Mas logo que o povoamento das fazendas começou facilitado pelas concessões que a proprietária fazia aos que nela se quisessem fixar, assim que surgiu a capela em torno da qual foi se formando o arraial, a denominação Queimadas ganhou uma complementação, passando o lugarejo a ser conhecido por Santo Antônio das Queimadas. Mais tarde elevada a Vila Bela de Santo Antonio das Queimadas e hoje apenas Queimadas, foi emancipada no dia 20 de Junho de 1884, sendo mais uma cidade centenária no sertão nordestino da Bahia. O topônimo se enriqueceu com o nome do Santo que passou a fazer integrante da vida da localidade em todas as fases da sua história.

A invocação a Santo Antônio não se deu por acaso, segundo a lenda que se transmitiu de geração a geração com a força de fé das almas simples e crédulas. Dizem que a imagem apareceu, inexplicavelmente, debaixo de uma árvore no local onde há 194 anos se edificou a capelinha. A fazendeira tantas vezes a recolhesse, como a imagem sumia do seu rico nicho de jacarandá e reaparecia no mesmo lugar onde a encontraram pela primeira vez. O caso foi tomado como milagre e a noticia se espalhou pela redondeza, arrastando crentes que passaram a reverenciar o local da aparição. Não havia mais dúvida: Santo Antonio estava a indicar que ali devia ser construída uma igreja, o que foi feito. E assim, no ano da graça de 1815, as obras foram concluídas, e no dia 13 de junho do mesmo ano, Santo Antonio foi entronizado e elevado à condição de padroeiro da povoação nascente.

Um fato curioso é que a mesma imagem antes símbolo de devoção foi julgada e condenada na comarca de Água Fria por crime de assassinato, após um individuo ter aparecido morto à frente da igreja. A igrejinha construída na propriedade de Isabel Maria Guedes de Brito ainda hoje existe na sua forma original, embora, vez por outra, procurem atentar contra as suas características primitivas. Queimadas é uma cidade com uma enorme diversidade histórico-cultural, local de descanso das tropas militares que iam em direção a cidade de Canudos, terra de antigos coronéis da Republica Velha (1889-1930). Queimadas é hoje uma cidade de festas populares e de pessoas que através da arte resgatam a cultura do povo brasileiro, nordestino, baiano, queimadense.

Histórico

O desbravamento primitivo da região processou-se antes de 1700 quando bandeiras rumavam em busca das minas de Jacobina.
O território era habitado por tribos indígenas que, conquanto não deixassem o nome, delas ficaram vestígios.
A denominação Queimadas se originou de duas fazendas chamadas 'As Queimadas', onde se iniciou o povoamento, ambas pertencentes a D. Isabel Maria Guedes de Brito, que anteriormente residia no Município de Inhambupe. Essas fazendas se localizavam nas terras férteis que ficam à margem direita do Itapicuru-Açu. Vindo residir nelas, D. Isabel franqueou terras aos que ali se quisessem fixar.
Em 1815 foram concluídas as obras da igreja, onde se entronizou, a 13 de junho do mesmo ano, a imagem de Santo Antônio, patrono da povoação.
Quem diria então, que aquele modesto templo, oitenta anos depois, seria testemunha de cenas descritas por Euclides da Cunha, em 'Os Sertões'.
A 6 de fevereiro de 1886, foi a inaugurada a estação de Queimadas da Estrada de Ferro Bahia - São Francisco. Com sede no arraial de Santa Luzia, o Ato Estadual de 28 de julho de 1890 criou um distrito policial.
Em 1987, durante a campanha de Canudos, transitaram pelas Queimadas inúmeros soldados, concentrando-se aí tropas que conquistaram a 4.ª expedição, sob o comando do general Artur Oscar de Andrade Guimarães. Naquela época o distinto escritor patrício Euclides da Cunha ali permaneceu por alguns dias fazendo investigações geográficas, sociográficas e de outros aspectos, que contribuíram para a elaboração de sua obra monumental ' Os Sertões'.
O topômio foi alterado para Queimadas pela Lei estadual n° 1081, de 19 de junho de 1915.

Gentílico:

Formação Administrativa

Vinte sete anos depois, pela Lei Provincial n° 168, de 19 de maio de 1842, fundou-se a freguesia de Santo Antônio das Queimadas, pertencente ao Município de Vila Nova da Rainha, depois Bonfim e, afinal, Senhor do Bonfim.
Foi o arraial elevado à categoria de vila e criado o município, desmembrado do território do município de Vila Nova da Rainha ( Senhor do Bonfim), formado pelas freguesias de Santo Antônio de Queimadas e São Gonçalo da Serra da Itiúba, pela Resolução provincial n° 2454, de 20 de junho de 1884, recebendo o nome de Vila Bela de Santo Antônio das Queimadas. A instalação do município ocorreu a 20 de junho de 1887.
Na divisão administrativa de 1911, o município compunha-se de dois distritos: Queimadas e Itiúba.
Na divisão de 1933 aparece com três, sendo acrescido do distrito de Santa Luzia, criado pela Lei municipal de Queimadas n° 11, de 4 de Abril de 1918, e aprovada pela Lei estadual n° 1298, de 6 de maio de 1919.
Pelo Decreto estadual n° 9601, de 18 de julho de 1935, a subprefeita de Santa Luzia, criada pelo Decreto n° 8693, de 3 de novembro de 1933, foi elevada à categoria de município.
A subprefeitura de Itiúba, criada pelo Decreto n° 8526, de 6 de julho de 1933, também foi elevada à categoria de município pelo Decreto estadual n° 9322, de 17 de janeiro de 1935.
Ficou Queimadas constituído de distrito único, situação que continou até a criação do distrito de Nordestina pela Lei estadual n° 628, de 30 de dezembro de 1953.
Atualmente a sua composição administrativa é de dois distrito: Queimadas e Riacho da Onça.

Letra do Hino

Sua glória vem de outrora
Forjada sob o sol,
Meu cartão postal e poesia
Terra da alegria és singular!

Sua história é alento
É fomento para o seu povo,
Sua memória é instrumento rumo ao novo,
Ó matriarca secular

Vila Bela, assim nascera no sertão,
A flor primeira do sisal,
Que flameja e orgulha nossos corações
Avante bandeira cultural

Suas lindas paisagens
Ricas margens dos seus rios
Senhora das caatingas,
Sua prole gentil

Cidade imensa, terra,
Dessa gente varonil
Queimadas, Bahia, Brasil!

Portal da Paz
Festiva, a mãe querida
O teu clamor,
Nas ruas largas, viva!
Queimadas te amo!

Cidade imensa, terra,
Dessa gente varonil
Queimadas, Bahia Brasil!

By. Josiel Batista

Áudio do Hino